Padre Jordan – Fé na Providência Divina

Neste dia 08 de julho, 6º Dia da Novena em preparação ao Centenário da Morte/Ressurreição do Venerável Servo de Deus, Pe. Francisco Maria da Cruz Jordan traz como tema: “Padre Jordan – Confiante na Divina Providência”. Novena que está sendo rezada todo dia 08 de cada mês nos espaços de missão salvatoriana e se estenderá até setembro, mês que marca a celebração do Ano Centenário. Reze conosco esta novena!

08 de julho de 2018

 VENERÁVEL SERVO DE DEUS

FRANCISCO MARIA DA CRUZ JORDAN

Confiante na Divina Providência 

“Como serei feliz, sem confiar em Deus? Pois, neste caso, poderei contar sempre com a Sua Providência em meus afazeres, e ele afastará os perigos antes mesmo que eles me atinjam” (DE I 45,2)

 Comentarista: Vamos iniciar este momento de oração invocando a Santíssima Trindade:  Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Comentarista: A confiança na Divina Providência era uma característica de Padre Jordan. Quem convivia com ele percebia claramente como se abandonava nas mãos de Deus.

Leitor 1 (semente): Acolhamos estas sementes, que trazem consigo o dom da vida. Ao apresentá-las, fazemos memória aos três Ramos da Família Salvatoriana, que um dia foram sementes lançadas ao mundo para dar frutos.

Leitor 2 (jarro com uma planta): A planta, para que estivesse aqui, foi necessário que alguém tivesse o carinho de cuidá-la. Deus coloca em nossas mãos a humanidade para que possamos, como  Família Salvatoriana, cuidar de toda a obra criada.

Leitor 3 (entra com a vela e a Bíblia): A vela traz consigo o dom de iluminar. Como Família Salvatoriana, também somos convidados a ser luz no mundo. Que a Palavra de Deus continue iluminando os nossos projetos e sonhos. Peçamos a Deus que sejamos fiéis ao seu projeto, assim como foram Pe. Jordan e Madre Maria.

Todos: Padre Jordan nos deixa em seu Diário Espiritual: Como serei feliz, sem confiar em Deus? Pois, neste caso, poderei contar sempre com a Sua providência em meus afazeres, e ele afastará os perigos antes mesmo que eles me atinjam”.

 Comentarista: O cardeal Ângelo Amato, prefeito da Causa dos Santos, atesta que Pe. Jordan era conhecido como aquele que nutria uma grande confiança na Divina Providência. Quando tentavam questioná-lo se algo seria possível de ser realizado, ele respondia de maneira muito simples: que era preciso confiar na Providência Divina. Devido às inúmeras dificuldades, a Providência Divina se tornou a companheira constante deste grande homem.

Cantemos: Eis-me aqui, Senhor! Eis-me, aqui, Senhor!/Pra fazer tua vontade, pra viver no teu amor. Pra fazer Tua Vontade, pra viver no Teu amor, eis-me aqui, Senhor!

– O Senhor é o pastor que me conduz,/por caminhos nunca vistos me enviou./Sou chamado a ser fermento, sal e luz,/e por isso respondi: aqui estou!

Ele pôs em minha boca uma canção,/ me ungiu como profeta e trovador,/da história e da vida do meu povo,/e por isso respondi: aqui estou!

Ponho a minha confiança no Senhor,/da esperança sou chamado a ser sinal,/Seu ouvido se inclinou ao meu clamor,/e por isso respondi: aqui estou!

 

ORAÇÃO INICIAL – CHAMADO E RESPOSTA (livro “Preces Salvatorianas” – Oração 51, página 65)

Todos: Senhor Jesus Cristo, Salvador do mundo, em todos os tempos chamas homens e mulheres que, a exemplo dos apóstolos, se empenham para que todos te conheçam e encontrem em ti a salvação.

Escolheste Francisco Jordan como zeloso e fiel servidor do anúncio apostólico. Pela intercessão de Maria, Mãe do Salvador e Rainha dos Apóstolos, te pedimos: como concedeste a teu servo Francisco, dá também a nós, seus filhos e filhas espirituais, uma inabalável confiança em tua amorosa Providência, zelo apostólico por teu Reino, dedicação no serviço aos irmãos e irmãs, e coragem para te seguir.

Pela intercessão de teu servo Francisco, atende nossas preces, e ajuda-nos em nossas necessidades. Amém.

 

Rezando com a Palavra de Deus: 1 Jo 5,13-15

Leitor 1: 13 Escrevo tudo isso para que vocês, que acreditam no nome do Filho de Deus, estejam certos de que têm Vida Eterna. 14 Ao nos dirigirmos a Deus, podemos ter esta confiança: quando pedimos alguma coisa conforme o seu projeto, ele nos ouve. 15 E, se sabemos que ele nos ouve em tudo o que lhe pedimos, estamos certos de que já obtivemos o que lhe havíamos pedido.

Momento de contemplação – Refletir o que a Palavra de Deus está nos falando hoje.

– Breve momento de partilha

Leitor 2: Recordando as meditações de Pe. Jordan – “Repito: quanto maiores os sofrimentos, tanto maior o sucesso! Mesmo que nos planos da Providência constasse que vocês devem derramar, como mártires, o próprio sangue, olhem para a cruz e não lhes parecerá difícil!” (Alocuções 01 de 17/01/1890).

Antífona cantada: Louvarei a Deus, seu nome bendirei. Louvarei a Deus, Ele é minha salvação.

 Leitor 3: “Confiem no Senhor! Acreditem na Divina Providência! E quando, na velhice, vocês lançarem um olhar retrospectivo sobre tantos acontecimentos sombrios do passado e compararem com que sofrimento os receberam, e agora se derem conta como Deus conduziu tudo para o seu maior bem, oh! como então haverão de julgar tudo de maneira bem diferente!” (Alocuções 64 de 18/02/1898).

Antífona cantada: Louvarei a Deus, seu nome bendirei. Louvarei a Deus, Ele é minha salvação.

Leitor 4: “É impressionante como, espontaneamente, de todas as partes, chega tanta coisa! Com quanta prodigalidade a Divina Providência acaba de nos ajudar! Quase daria para uma caravana inteira viajar para a América. Nada acontece por acaso. E este é o sinal mais seguro de que tudo isto procede do alto!” (Alocuções 23 de 08/07/1896).

Antífona cantada: Louvarei a Deus, seu nome bendirei. Louvarei a Deus, Ele é minha salvação.

Leitor 1: “… quem se refugia no ativismo corre sério risco de se arruinar. Mantenha-se cada qual no seu devido lugar, reze e confie tudo à Divina Providência!” (Alocuções 23 de 08/07/1896)

 Antífona cantada: Louvarei a Deus, seu nome bendirei. Louvarei a Deus, Ele é minha salvação.

 Comentarista: “A oração, como vocês devem saber e bem sabem, é aquela força enorme que sobe ao céu e de lá faz descer a bênção, sem que vocês percebam. Confiem na Providência de Deus! Ele dirigirá e ordenará tudo” (Alocuções 38 de 15/01/1897).

 

Rezando com a Família Salvatoriana hoje

Leitor 1: Padre Jordan, não só fez uma experiência com a Divina Providência, como também depositava toda sua confiança nela. Seus anseios, dúvidas e até os medos eram sentimentos que provavelmente não o afligiam, mas que o faziam experimentar, cada vez mais, um Deus providente e presente em todos os momentos e circunstâncias de sua vida. Jordan foi um ser humano apaixonado em deixar-se guiar pela Divina Providência”. (Ir. Jéssica Marcela Lourenço, sds – graduanda em Enfermagem, São Paulo/SP).

 Todos: Senhor nós te esperamos, Senhor não tardes mais! Senhor nós te esperamos, vem logo, vem nos salvar!

 Leitor 2: “Confiança na Divina Providência é sentir a mão poderosa de Deus que nos aponta o caminho a seguir. No dizer de Padre Francisco Maria da Cruz Jordan, confiança em Deus… confiança no amor de Deus. Acreditar que Deus está à frente de nós. Repito: confiança em Deus” (Pe. Célio Roberto dos Santos, sds (pedagogo, Salvatoriano, missionário no Peru).   

Todos: Senhor nós te esperamos, Senhor não tardes mais! Senhor nos te esperamos, vem logo vem nos salvar!

 Leitor 3: É preponderante a Providência Divina, pois quando temos confiança plena nela, adquirimos forças, luz e defesas para enfrentar as atribulações da vida no mundo atual” (Eva Santos de Oliveira, Grupo de leigos salvatorianos, Baixa Grande/BA).

Comentarista: Cantemos juntos

A CHAVE DO CORAÇÃO (ADRIANA)

Qual é a chave? Qual é o segredo que abre as portas do teu coração? (2x)

Por que não falar se Ele quer te ouvir?/Por que se esconder se Ele está aqui?/ Por que não aceitar se Ele quer te dar?/Por que insistir em resistir?/Pois Ele tem tanto pra te falar./Quer te amar te perdoar.

Mas é você que tem que abrir o coração./Deixa Jesus te consolar./Deixa Jesus te abençoar./

Deixa Jesus te dar a sua Salvação.


Rezando com a Igreja:

Comentarista: Recordemos alguns trechos da oração do hoje Papa Emérito Bento XVI, na oração do Angelus do dia 27 de fevereiro de 2011.

Leitor 1: O Espírito Santo nos doou mediante a escrita do, por assim dizer, “segundo Isaías”, o qual para consolar Jerusalém das suas derrotas, assim se exprime: “Pode uma mulher esquecer-se da sua própria criança ao ponto de não comover-se pelo filho das suas entranhas? Mas se até esta se esquecesse, eu não te esqueceria jamais” (Is 49,15). Este convite à confiança no incondicional amor de Deus vem próximo à página, de forma sugestiva, do Evangelho de Mateus, no qual Jesus exorta os seus discípulos a confiar na providência do Pai Celeste, o qual nutre os pássaros do céu e veste os lírios do campo e, além disso, conhece a nossa necessidade (cf. Mt 6,24-34).

Todos cantam: Quem anda sempre no amor! Não cansa, nem se cansa!  

 Leitor 2. Mateus se exprime desta forma: “Não vos preocupeis, pois, dizendo: ‘O que comeremos? O que beberemos? O que vestiremos?’ De todas estas coisas vão à procura os pagãos. O vosso Pai celeste, de fato, sabe que haveis necessidade”.

 Todos cantam: Quem anda sempre no amor! Não cansa, nem se cansa!  

 Leitor 3: Quem acredita em Deus, Pai cheio de amor pelos seus filhos, coloca em primeiro lugar a procura pelo Reino, pela Sua vontade. E isto é exatamente o contrário de um ingênuo conformismo. A fé na providência, de fato, não dispensa a fadigosa luta por uma vida digna, mas liberta da ansiedade pelas coisas e do medo do amanhã.

Todos cantam: Quem anda sempre no amor! Não cansa, nem se cansa!  

 Leitor 4: O cristão se distingue pela absoluta confiança no Pai celeste, como fez Jesus. É justamente a relação com Deus Pai que dá sentido à toda a vida de Cristo, às suas palavras, aos seus gestos de salvação, até a sua paixão, morte e ressurreição. Jesus nos demonstrou o que significa viver com os pés bem plantados na terra, atentos às concretas situações do próximo e ao mesmo tempo conservando sempre o coração no céu e mergulhado na misericórdia de Deus.

Todos cantam: Quem anda sempre no amor! Não cansa, nem se cansa!

 Leitor 5: Caros amigos, à luz da Palavra de Deus deste domingo, vos convido a invocar a Virgem Maria com o título de Mãe da Divina Providência. A ela confiamos a nossa vida, o caminho da Igreja, os acontecimentos da história. Em particular, invocamos a sua intercessão a fim que todos aprendamos a viver segundo um estilo mais simples e sóbrio, na cotidiana atividade e no respeito para com a criação que Deus confiou aos nossos cuidados.

Todos cantam: Quem anda sempre no amor! Não cansa, nem se cansa!  

Tempo de contemplação da Palavra (instantes de silêncio)

Comentarista:

Nosso venerável fundador, Padre Jordan, ficava horas na capela do Santíssimo. Estava certo da presença de Deus na sua vida e de toda Família Salvatoriana. Agradeçamos a Jesus Salvador por nos conceder o seu corpo e sangue como alimento para a vida eterna. Manifestemos a nossa alegria cantando:

 Canto: HINO SALVATORIANO

Que todos possam ver/e Cristo conhecer,/saber de Cristo é conhecer o amor!

  1. Com alegria e muita gratidão,/a Deus erguemos hinos de louvor.

Com toda Igreja e com cada irmão,/nós proclamamos o Divino Salvador.

  1. Tornar o Cristo amado e conhecido,/nos foi deixado como testamento.

O mundo inteiro será mais unido/se o Evangelho for da vida o fundamento.

  1. Filhos e filhas pelo mundo afora/de Padre Jordan seguem a missão.

E não se cansam de esperar a hora/de ver chegar a todo o povo a salvação.

Comentarista: Últimos dias do Pe. Jordan – Crônicas deixadas pelo Pe. Pancrácio (Dia 29 de agosto 1918)

Leitor 1. “Tendo sido informado pelas Irmãs que, na parte da manhã, o venerável Pai estava mais lúcido do que à noite, resolvi visitá-lo, doravante, sempre antes do meio-dia. De fato, hoje, às 11,30 horas, eu o encontrei bem melhor. Ele repetia constantemente: ‘Deus é tão bom!’. Eu sentia muito de vê-lo numa casa estranha, e tratado por gente estranha”.

Todos: “O bom Deus fará com que tudo dê certo” (Padre Jordan)

 Leitor 2: “Não consegui reter as lágrimas, e disse: ‘Venerável Pai, como é possível acontecer tudo isso?’ Fitando-me, ele respondeu: ‘Não se esqueça disto: Os caminhos de Deus não são os nossos caminhos, e seus pensamentos não são os nossos’. Pouco depois ele acrescentava: ‘A gente precisa deixar-se guiar pela Providência, tomando cuidado para não querer engabelá-la. Muitos já perderam a paciência, ficando parados no meio do caminho. Perseverando, a gente acaba por encontrar uma solução’”.

 Todos: “Seja tudo como Deus quiser” (Padre Jordan).

Leitor 3: “Na despedida, o venerável Pai me apertou a mão, agradecendo a visita. Perguntei-lhe se ainda se sentia bem ali. Ao que ele respondeu: ‘Sim, muito.’ E acrescentou: ‘As Irmãs são tão boazinhas! Mas a gente nunca está seguro diante delas. Mesmo durante a noite, elas vêm sempre de novo para ver se preciso de alguma coisa’”.

Todos: “Deus é tão bom! Seja feita a sua vontade” (Padre Jordan)

 Leitor 4: “Nisto chega a Irmã enfermeira, dizendo-me que, à noite, o venerável Iai havia se levantado da cama, o que era muito perigoso para ele. Então eu lhe disse: ‘venerável pai, o médico lhe proibiu isso. O senhor não deve levantar-se!’ Mas, ele me respondeu: ‘O que adianta o Sr. me proibir, se a gente não sabe o que faz?’”

 Todos: “Deus é tão bom! Seja feita a sua vontade(Padre Jordan)

 Leitor 1: “Quando a Irmã deixou o quarto, ele ficou muito agitado, perguntando o que deveria fazer, se chegasse a deixar o leito sem o saber. Tentei então livrá-lo dessa angústia, mas foi muito difícil tranquilizá-lo. Finalmente eu lhe disse: ‘O senhor nunca sofreu disso; o senhor não é nenhum son…’ Interrompi a palavra iniciada, por julgá-la pouco reverente. ‘O senhor tem razão’, respondeu ele. E continuou: ‘Nenhum sonâmbulo, isto é, nenhum ‘somno ambulans’’ (que anda durante o sono)”.

Todos: “Deus é tão bom! Seja feita a sua vontade” (Padre Jordan)

 Leitor 2: “Com isso ele se tranquilizou, e também não tornou a se levantar. Manifestou o desejo de ver o Pe. Macário, que era seu conselheiro e que costumava dissipar suas dúvidas. Entretanto, acrescentou: ‘Mas só se ele puder vir de Friburgo, sem descuidar, com isso, qualquer outra obrigação.’”

 

ORAÇÃO FINAL

 Confiança na Divina Providência (Livro “Preces Salvatorianas – Oração 19, página 27). Retirado do Diário Espiritual e Testamento do Pe. Jordan.

Pai de amor e bondade, confiante me aproximo de ti. Tu podes tudo (DE II 33,3). Concede-me uma grande confiança em tua Divina Providência. Bem sei que, qual mãe solícita, cuidas de mim. Em ti coloco minha esperança e confiança! (Testamento).

Confio em tua admirável Providência, ainda que tudo pareça estar perdido. Em tudo aquilo que me atinge, coloco-me inteiramente em tuas mãos.

Tua Providência me criou! (DE I 185,2). Sei que te serves do tempo para realizar os planos de tua Providência. (DE I 159*,3).  Ela não me deixará esperar em vão. Lanço sobre ti minhas preocupações, pois bem sei que cuidas de mim com amor e carinho. (DE I 162,2-3).

Bênção de Padre Jordan: 

Abençoe-vos Deus todo poderoso: Pai, Filho e Espírito Santo.

Ele vos santifique, confirme e multiplique como a areia do mar e como as estrelas do céu, até o fim dos tempos. Amém!

 Pai Nosso … Ave Maria… Glória ao Pai…

Outros conteúdos