Padre Jordan – Homem da paz

Neste dia 08 de setembro,  Dia  que marca a celebração dos 100 anos da Morte/Ressurreição do Venerável Servo de Deus, Pe. Francisco Maria da Cruz Jordan a novena deste dia memorável traz como tema: “Padre Jordan  – Homem da Paz”.  Esta Novena iniciou no dia 08 de fevereiro e foi rezada todo dia 08 de cada mês nos espaços de missão salvatoriana. Reze conosco esta novena:

08 DE SETEMBRO DE 2018

Venerável Servo de Deus

Pe. Francisco Maria da Cruz Jordan

 Homem da paz

 

“Evita discussões, sobretudo em se tratando de questões sem muita importância. Fala sempre com todos com ânimo moderado” (DE I 14,3-4)

Comentarista: vamos iniciar este momento de oração, invocando a Santíssima Trindade:  em nome do Pai, + do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Comentarista: estamos inseridos num mundo que cada vez mais clama por pessoas que estejam dispostas a construir a paz. O mundo clama por paz. E olhando para a vida de Pe. Jordan, podemos dizer que a maneira como ele agiu nos faz crer  que, de fato, foi um homem da paz. Padre Tavares, sds, dizia que quando Cristo desejou a paz aos discípulos logo após a ressurreição ele incluía na palavra shalon três expressões e afirmações: “eu estou aqui”; “de que você está precisando?”; e “pode contar comigo”. Dessa maneira compreendemos verdadeiramente a paz, isso é, sendo solidários a outras pessoas.

Leitor 1: no dia 08 de setembro celebramos a festa do nascimento de Nossa Senhora. O casal Joaquim e Ana foram agraciados com uma filha muito especial. Maria foi sensível ao apelo do povo de Deus, e o seu “sim” a Deus marcou de maneira esplêndida a história da salvação.

Todos: somos responsáveis pela paz.

Leitor 2: iremos agora, Senhor, acender uma vela para recordar o dia que Padre Jordan partiu para a presença do Pai. Passamos pelo mundo deixando a nossa contribuição. Pe. Jordan contribuiu muito com a Igreja, com a sociedade e com a humanidade, e recordar a sua passagem pelo mundo é ter a certeza de que ele fez a diferença.

Todos: somos responsáveis pela paz!

Leitor 3 : essa bandeira lembra o nosso compromisso e nossa responsabilidade pela paz a qual começa com pequenos gestos e com nossa postura de delicadeza. A paz tão sonhada pede espaço, e vamos juntos assumir essa bandeira.

Todos: somos responsáveis pela paz!

Leitor 1: a Palavra de Deus sempre ilumina a nossa caminhada. Ajuda-nos a compreender o convite que Deus nos faz. Rezemos com o Salmo 85, que nos diz no versículo 11: amor e verdade se encontram, justiça e paz se abraçam.

Todos: somos responsáveis pela paz!

 Leitor 2: recordemos o que nos fala Padre Jordan em seu Diário Espiritual:

Evita discussões, sobretudo, em se tratando de questões sem muita importância. Fala sempre com todos com ânimo moderado”.

 

Comentarista: a paz faz parte do processo de salvação. Pe. Jordan sonhava com a paz mundial e desejava que os povos percebessem que a sua construção depende do esforço de todos. Nos conflitos, sempre buscava o diálogo como uma maneira de encontrar o caminho que levasse à paz.

 Cantemos: Utopia (Zé Vicente)

Quando o dia da paz renascer,/quando o Sol da esperança brilhar /eu vou cantar. Quando o povo nas ruas sorrir / e a roseira de novo florir, eu vou cantar. Quando as cercas caírem no chão,/quando as mesas se encherem de pão/eu vou cantar.

Quando os muros que cercam os jardins, destruídos /então os jasmins vão perfumar. Vai ser tão bonito se ouvir a canção/cantada de novo. No olhar da gente a certeza de irmãos/ reinado do povo. Quando as armas da destruição /destruídas em cada nação/eu vou sonhar/e o decreto que encerra a opressão/assinado só no coração/vai triunfar.

Quando a voz da verdade se ouvir / e a mentira não mais existir / será enfim. Tempo novo de eterna justiça / sem mais ódio sem sangue ou cobiça / vai ser assim.

Vai ser tão bonito se ouvir a canção/cantada de novo/no olhar da gente a certeza de irmãos/reinado do povo

 

ORAÇÃO INICIAL – CHAMADO E RESPOSTA

Todos: Senhor Jesus Cristo, Salvador do mundo, em todos os tempos chamas homens e mulheres que, a exemplo dos Apóstolos, se empenham para que todos te conheçam e encontrem em ti a salvação.

Escolheste Francisco Jordan como zeloso e fiel servidor do anúncio apostólico. Pela intercessão de Maria, Mãe do Salvador, e Rainha dos Apóstolos, te pedimos: como concedeste a teu servo Francisco, dá também a nós, seus filhos e filhas espirituais, uma inabalável confiança em tua amorosa Providência, zelo apostólico por teu Reino, dedicação no serviço aos irmãos e irmãs, e coragem para te seguir.

Pela intercessão de teu servo Francisco, atende nossas preces e ajuda-nos em nossas necessidades. Amém.

 

Rezando com a Palavra de Deus: Sl 4, 7-9

 Leitor 1: muitos dizem: “Quem nos fará ver o bem?”. Iahweh, levanta sobre nós a luz da tua face. Puseste em meu coração mais alegria do eu quando seu trigo e seu vinho transbordam. Em paz me deito e logo adormeço, porque só tu, Iahweh, me fazes viver em segurança.

Momento de contemplação – refletir o que a Palavra de Deus está nos falando hoje.

– Breve momento de partilha.

Comentarista: rezemos levando em conta o que nos diz o nosso Fundador.

Leitor 1: por intermédio destes nossos confrades, os primeiros a serem enviados por nossa Sociedade, queremos levar a esses povos a paz, a Boa-Nova do Evangelho. Essa alegria deve sobrepujar, e em muito, a dor da separação (Alocuções 01 de 17/01/1890).

 Todos: que a paz de Deus esteja sempre presente nas nossas relações.

 Leitor 2: e agora, vão em paz e permaneçam intimamente unidos conosco! De minha parte, eu lhes asseguro, que vocês estão inscritos em meu coração. Permaneçam constantemente unidos conosco, a fim de que formemos uma família bem unida em todo o orbe terrestre, e que nós possamos reencontrar um dia na pátria eterna. (Alocuções 03 de 25/12/1891)

 Todos: que a paz de Deus esteja sempre presente nas nossas relações.

 Leitor 3: Além do mais, o fato de vocês partirem para propagar a glória de Deus e o louvor de Maria, para salvar almas, deve constituir para nós uma grata recordação. Sim! “Quão maravilhosos são os pés daqueles que anunciam a paz!” (Rm 10,15). Levem a paz! (Alocuções 04 de 27/06/1892)

 Todos: que a paz de Deus esteja sempre presente nas nossas relações.

 

Rezando com a Família Salvatoriana hoje

 Leitor 1: “Felizes os promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus (Mt 5,9). Pe. Francisco Maria da Cruz Jordan foi um homem de paz. Nunca duvidou do grande amor de Deus por sua pessoa. Na medida em que sua obra crescia, também as turbulências internas e externas, em muitos momentos, afligiam o seu espírito. No percurso da vida foi aprendendo que a paz interior, a serenidade e a confiança plena na Divina Providência, eram como faíscas de luzes que clareavam e fortaleciam sua vida. Meu filho, não percas a tranquilidade e a paz interior (DE I 13/1). Tua alegria seja sempre humildade, serena, modesta e edificante (DE I 16/02). Ir. Eny Xavier, sds, provincial das Irmãs Salvatorianas da Província São Paulo, teóloga – Santa Bárbara do Oeste/SP.

 Todos: Padre Jordan e Madre Maria dos Apóstolos sempre sonharam com a paz.

 Leitor 2: “Em fidelidade a nosso Fundador, Pe. Jordan, compreendemos a paz como fruto de um exigente e apaixonante encontro com o ressuscitado-crucificado, que nos convoca a sermos sinais credíveis de fidelidade e obediência ao Deus da vida, em perfeita união com seu Filho Salvador e os irmãos/as de caminho, passando do humano velho dividido e violento ao novo íntegro e harmonizado, capaz de ser semente de paz diante de tantos canteiros de violência sem sentido”. Pe. Paulo José Floriani, sds, doutorando, Padre Salvatoriano – Itália.  

 Todos: Padre Jordan e Madre Maria dos Apóstolos foram instrumentos da paz.

Leitor 3:  a Senhora Maria Aparecida de Paula, do grupo de Leigos Salvatorianos de São José dos Pinhais/PR, recorda os escritos do Pe. Jordan referentes à paz: “Ama e serve a Deus com todas as tuas forças. Ele é o Altíssimo; só Nele encontrarás a verdadeira paz”. “Pensa quanto consolo e quanta alegria teu projeto já te proporcionou! Queres morrer em paz, então luta e trabalha”.

Todos: Padre Jordan e Madre Maria dos Apóstolos enviaram mensageiros e mensageiras da paz.

 

Rezando com a Igreja:

Comentarista: todos os anos, o Papa escreve uma mensagem para o Dia Internacional da Paz. Este ano foi lida a mensagem de número 51, cujo trecho veremos a seguir:

Leitor 1: paz a todas as pessoas e a todas as nações da terra! A paz que os anjos anunciam aos pastores na noite de Natal, (cf. Lc 2,4) é uma aspiração profunda de todas as pessoas e de todos os povos, sobretudo, de quantos padecem mais duramente pela sua falta. Dentre estes, que trago presente nos meus pensamentos e na minha oração, quero recordar de novo os mais de 250 milhões de migrantes no mundo, dos quais 22 milhões e meio são refugiados. Estes últimos, como afirmou o meu amado predecessor Bento XVI, «são homens e mulheres, crianças, jovens e idosos que procuram um lugar onde viver em paz» (Cf. Alocução do Angelus -15/I/2012. E, para o encontrar, muitos deles estão prontos a arriscar a vida numa viagem que se revela, em grande parte dos casos, longa e perigosa, a sujeitar-se a fadigas e sofrimentos, a enfrentar arames farpados e muros erguidos para os manter longe da meta.

Todos cantam: eis-me aqui Senhor, Eis-me aqui Senhor, pra fazer a Tua vontade, pra viver no Teu amor, pra fazer Tua vontade, pra viver no Teu amor! Eis-me aqui Senhor.

Leitor 2: Com espírito de misericórdia, abraçamos todos aqueles que fogem da guerra e da fome ou se veem constrangidos a deixar a própria terra por causa de discriminações, perseguições, pobreza e degradação ambiental.

 Todos cantam:  eis-me aqui Senhor, Eis-me aqui Senhor, pra fazer a Tua vontade, pra viver no Teu amor, pra fazer Tua vontade, pra viver no Teu amor! Eis-me aqui Senhor.

 Leitor 3: Todavia, as pessoas migram também por outras razões, sendo a primeira delas «o desejo de uma vida melhor, unido muitas vezes ao intento de deixar para trás o “desespero” de um futuro impossível de construir» (cf. Bento XVI, Mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado de 2013). As pessoas partem para se juntar à própria família, para encontrar oportunidades de trabalho ou de instrução: quem não pode gozar destes direitos, não vive em paz. Além disso, como sublinhei na Encíclica Laudato si’, «é trágico o aumento de migrantes em fuga da miséria agravada pela degradação ambiental».

Todos cantam:  eis-me aqui Senhor, Eis-me aqui Senhor, pra fazer a Tua vontade, pra viver no Teu amor, pra fazer Tua vontade, pra viver no Teu amor! Eis-me aqui Senhor.  

Leitor 4: a maioria migra seguindo um percurso legal, mas há quem tome outros caminhos, sobretudo por causa do desespero, quando a pátria não lhes oferece segurança nem oportunidades, e todas as vias legais parecem impraticáveis, bloqueadas ou demasiado lentas.

Todos cantam: eis-me aqui Senhor, Eis-me aqui Senhor, pra fazer a Tua vontade, pra viver no Teu amor, pra fazer Tua vontade, pra viver no Teu amor! Eis-me aqui Senhor.

Leitor 1: Oferecer a requerentes de asilo, refugiados, migrantes e vítimas de tráfico humano uma possibilidade de encontrar aquela paz que andam à procura, exige uma estratégia que combine quatro ações: acolher, proteger, promover e integrar (Francisco, Mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado de 2018 – 15/VIII/2017).

Todos cantam: eis-me aqui Senhor, Eis-me aqui Senhor, pra fazer a Tua vontade, pra viver no Teu amor, pra fazer Tua vontade, pra viver no Teu amor! Eis-me aqui Senhor.  

Leitor 2: inspiram-nos as palavras de São  João Paulo II: «Se o “sonho” de um mundo em paz é partilhado por tantas pessoas, se se valoriza o contributo dos migrantes e dos refugiados, a humanidade pode tornar-se sempre mais família de todos e a nossa terra uma real “casa comum”»  (cf. Mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado de 2004). Ao longo da história, muitos acreditaram neste «sonho» e as suas realizações testemunham que não se trata duma utopia irrealizável.

Tempo de contemplação da Palavra (instantes de silêncio)

 

Comentarista: Cantemos “Haja Paz”, do Pe. Zezinho.

Haja um grito contra a guerra/e outro grito pela paz / mais um grito pela terra / Violência, nunca mais/
Pouca gente e muito ódio/conseguiram abafar/o clamor da maioria/que acredita no amanhã

Eu sou da paz./ Eu quero paz./Eu tenho paz./Eu sonho com a paz./Sei que apesar/de tanto ódio a florescer,/o amor há de vencer.

Haja paz entre os vizinhos,/nas famílias reine a paz,/nas cidades e nos campos,/nas igrejas, muito mais./Haja paz na sociedade/que saibamos nos querer,/como irmãos e como amigos/que conseguem conviver.

Que ninguém seja oprimido/todo mundo encontre a paz/seja o pão mais repartido/e o dinheiro ainda mais/por amor à humanidade/ consigamos ser leais/e espalhar fraternidade/violência nunca mais.

 

Comentarista: no dia que recordamos a Páscoa do nosso Pai Fundador recordemos o seu Testamento.

Leitor 1: tenham como herança perpétua a confiança na Divina Providência. Qual mãe solícita, ela cuidará de vocês! Confio-lhes a pobreza permanente, qual tesouro precioso e qual pérola escolhida, da qual Deus lhes pedirá conta no dia do juízo!

Leitor 2: ponham só em Deus sua esperança e confiança. Qual guerreiro valoroso, ele combaterá por vocês. Ai de vocês se puserem sua confiança nos homens ou nos bens materiais!

Leitor 3: permaneçam sempre filhos sinceros e fiéis de nossa santa mãe, a Igreja Romana. Ensinem o que ela ensina, creiam o que ela crê, reprovem o que ela reprova! Amem-se uns aos outros no Espírito Santo. Que o amor de vocês seja manifesto a todos!

Leitor 4: saibam que eu os amei intensamente. Quero também que vocês se amem uns aos outros! Santifiquem-se, cresçam e multipliquem-se sobre toda a terra, até o fim dos tempos, em nome do Senhor. Amém!

 Bênção de Padre Jordan: 

Abençoe-vos Deus Todo Poderoso: Pai, Filho e Espírito Santo. Ele vos santifique, confirme e multiplique como a areia do mar e como as estrelas do céu, até o fim dos tempos. Amém!

Pai Nosso … Ave Maria… Glória ao Pai…

Outros conteúdos