Notícias

O milagre que eleva o Padre Francisco Jordan à beatificação

Mais uma graça alcançada por intercessão do Venerável Servo de Deus, Padre Francisco Maria da Cruz Jordan , Fundador da Família Salvatoriana. O casal Gisele e Fernando são Leigos Salvatorianos do Grupo “A Caminho do Salvador”, de Várzea Paulista, e são residentes em Jundiaí-SP. Após três anos de casados, receberam uma notícia que deixou a família em estado de alegria: tinha sido confirmada a gravidez de Gisele em Janeiro de 2014. O que eles não sabiam era o que estava para acontecer.

A Dra. Glauce Cristina M. Cavenague, Ginecologista e Obstetra de renome em Jundiaí, acompanhou Gisele no pré-natal e em um dos exames de rotina, Ultrassonografia Obstétrica, realizado em 25/02/2014, com oito semanas e um dia, apresentou um “Deslocamento do saco gestacional e hematoma retro coriônico associado”. Dra. Glauce prescreveu o tratamento e entre outras indicações, o repouso.

Gisele, sempre levando a sério o tratamento, foi seguindo conforme os médicos indicavam. No dia 10/06/2014, o casal recebeu a notícia que o bebê era uma menina. Neste mesmo exame, Ultrassom Morfológico, também foi detectado que a Placenta estava muito espessa e o bebê não estava crescendo conforme o esperado para as semanas gestacionais. Tamanho e peso abaixo do esperado. A Dra. Glauce, ao comunicar o resultado do exame, também sugeriu que o acompanhamento passasse a ser mais frequente.


Ao sair do consultório, Gisele e Fernando se veem numa situação difícil. Como assimilar tudo isso? Gisele fez a seguinte declaração: “No carro, a caminho da casa de minha mãe, meu esposo e eu choramos e entregamos tudo nas mãos de Deus e neste momento pedimos para que o nosso querido Padre Jordan intercedesse por nós e nos iluminasse”. Ao chegarem à casa da Mãe de Gisele, a primeira coisa que eles viram foi um livrinho de oração que tinha estampado na capa a foto do Pe. Jordan.

Juliana, irmã da Gisele, partilhou o sonho que teve no dia 16/06/2014, data que se comemora o nascimento do Pe. Jordan, que a criança nasceria linda e perfeita. A partir dessa data muitos começaram a pedir nas orações por Gisele, Fernando e o bebê que nasceria meses depois. No decorrer da gestação também tinha sido diagnosticada uma “Síndrome antifosfolipe com exames FAN positivo, anticoagulante lúdico positivo”.


No dia 10/07/2014, Dra. Glauce encaminhou Gisele para Dra. Alice Christina Pinheiro Pereira, Ginecologista e Obstetra, especializando-se em Medicina Fetal, para que fossem realizados exames minuciosos no setor de Medicina Fetal da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Nos meses de julho e agosto de 2014, Gisele contou com a dedicação e empenho da Dra. Alice, que não mediu esforços para ajudá-la.

O primeiro Ultrassom realizado na Santa Casa de Misericórdia em São Paulo, no 21 de julho de 2014, apresentou: “Biometria fetal incompatível com as semanas de gestação, peso fetal com restrição de crescimento intrauterino, ossos longos significativamente encurtados, e uma placentomegalia”. Podemos dizer numa linguagem mais popular, que o bebê não havia alcançado peso e altura compatível à idade gestacional, os ossos longos eram encurtados levando a pensar que seria anão. Outra preocupação era em relação à placenta.

Os exames posteriores sempre confirmavam uma má formação óssea como displasia esquelética. Enquanto isso, Gisele sentia sempre o apoio da Família e dos amigos, que não cansavam de afirmar que tudo daria certo. Que era preciso confiar em Deus e na intercessão do Pe. Jordan. Gisele e Fernando repetiam em suas orações frases da espiritualidade do Pe. Jordan, como por exemplo: “para Deus nada é impossível”, “rezar sem cessar, e com a máxima confiança, não te deixe desanimar por nada” e “as obras de Deus só prosperam à sombra da cruz”.

Gisele também testemunhou dizendo: “cada vez que íamos fazer os exames, eu levava a medalhinha do Pe. Jordan e pedia que ele intercedesse, iluminasse nossa filha e os médicos que estavam cuidando de nós”.

Confiantes de que receberiam esta graça de Deus, Gisele e Fernando decidiram levar adiante a gestação, mesmo conscientes dos riscos de morte da mãe e/ou do feto. Precisamente no dia 08 de setembro de 2014, dia da Natividade de Nossa Senhora e também dia da morte do Pe. Francisco Jordan, Gisele foi levada à sala de cirurgia para o parto de sua filha. Às 13h44 nasceu Lívia Maria e seus pais choraram de alegria.

Contrariando todos os prognósticos apresentados nos exames durante a gestação, a criança nasceu saudável. O casal Gisele e Fernando está convencido de que tudo se deu graças à força de sua profunda fé em Deus e de suas orações de intercessão ao PE. Francisco Maria da Cruz Jordan. Livia Maria Cardoso Silva é uma criança normal e saudável.

Fonte: paroquianslourdes.org.br

Outros conteúdos