O legado de Padre Jordan para o mundo

 

O Centenário da Morte/Ressurreição de Padre Jordan, é um tempo oportuno para refletir o legado que  ele deixou para o mundo, bem como a importância de nós como Família Salvatoriana dar continuidade aos seus ideais. Quem nos ajudar a refletir esta temática é Ir. Dulcelene Ceccato (SDS), que destaca, entre muitos, dois aspectos fundamentais do seu legado: O diálogo constante com Deus e a sua vida “em missão” com todos os povos da terra. Confira!

>>>>>>>>

Como é possível que um jovem defamília pobre, operário de uma pequena vila no extremo-sul da Alemanha como foiFrancisco Jordan, com dificuldades para seguir com os estudos por causa dosistema político de seu país, tenha conseguido alcançar milhares de pessoas emtantos lugares do planeta já por mais de um século e meio através de suasfundações?

A resposta está no modo comoviveu e deu significado à sua vida. E nisto consiste o seu legado para nós e omundo hoje e, certamente, para o futuro. Quero destacar, entre muitos, apenasdois aspectos fundamentais:

Viveu em diálogo constante com Deus: Jordan teve uma relaçãoextremamente íntima e pessoal com Deus. Trabalhando, estudando, rezando,viajando… ele estava sempre conectado com a presença de Deus. Desde seus 27anos ele anotou suas conversas com Deus e só parou de anotar aos 70. Essesdiálogos foram publicados como um DiárioEspiritual. Nele lemos um caminho de duas mãos: uma é a da experiênciainterior mais íntima que uma pessoa pode haver que é o de abrir-se com seuDeus; a outra é a das consequências desta intimidade que são visíveis nas açõesexteriores. Disso advém doisensinamentos para nós hoje: Oprimeiro, é que nós também temos sede de Deus. Muitas vezes buscamossaciá-la com coisas exteriores: trabalho, estudo, consumismo, conversas,diversões, religião domingueira, etc. Outras vezes, nós nos refugiamos emespiritualidades intimistas ou seculares, que não nos levam à segunda via deJordan: às ações. O segundoensinamento é que toda relação confiante e sincera com Deus resulta num chamadoa ser solidário com os outros. Ao derramarmos nossa alma para Deus, Ele nosresponde, fortalece, consola, cura… e também nos envia em missão. É aexperiência de Jordan que se estende à nós hoje.

Viveu “em missão” com todos os povos da terra: Jordan formou eenviou muitos homens e mulheres de muitas nacionalidades a diferentes países,com a missão de instruir o povo na fé e anunciar a salvação que Jesus veiotrazer, sobretudo, aos mais pobres, conforme o Evangelho de João 13,3. Elesempre animou e entusiasmou seus filhos e filhas espirituais para que dessem omelhor de si ao povo e à Igreja. Lemos isso nas Regras da Sociedade que ele fundou e em suas homilias e pequenasconferências que proferia por ocasião das reuniões comunitárias ou celebrações.Desse entusiasmo e dessa paixãomissionária de Jordan aprendemos: Primeiro,que tudo o que recebemos é para os outros e não para nossa glória pessoal. Nofinal de sua vida e estando muito doente, Jordan foi internado num lar deidosos para ser mais bem atendido, e ali ele louvou a Deus dizendo: “enfim,pobre entre os pobres!”. Ali, apesar de sua condição, se sentiusolidário. Segundo, que Jordan nuncase deixou desanimar no sofrimento. Lemos em vários livros sobre sua vida queele nunca perdeu a fé, não se desesperou, nem fez drama. Desenvolveu, sim, umaprofunda devoção à Divina Providência e à Maria. Quase na agonia da morte eledisse: “O bom Deus fará com que tudo dê certo. Outros virão e, lembrados denossos sofrimentos, continuarão a obra…”. O entusiasmo é uma coisaque brota de uma fonte interior. Ou essa fonte jorra de dentro, ou o entusiasmonão existe. Terceiro, que Jordanviveu em missão e enviou tantos para todos os lados do planeta porque o seuamor era por todos, a fim de que todos conhecessem a Salvação que Jesus veiotrazer. Hoje isso tem um grande significado, pois vivemos num mundo interativoe conectado em tempo real, mas, ao mesmo tempo, dividido, polarizado emposições extremistas, sejam elas morais, raciais, políticas e até religiosas.Viver o amor includente e solidário para com os Outros e a Criação é missãourgente de todo o cristão/ã! Mas é, sobretudo, para as salvatorianas e ossalvatorianos que levam avante hoje o sonho de Jordan. Um sonho para todos: compromisso com Deus, compromisso com os irmãse irmãos de todas as periferias, sociais e existenciais, e toda Criação.

Por: Ir. Dulcelene Ceccato, SDS

Outros conteúdos