Notícias

“A Igreja é missão”: outubro, mês missionário

 Outubro é o Mês Missionário na Igreja, no Brasil. Esse ano, inspirados pelo texto bíblico “Sereis minhas testemunhas” (At 1,8), escolhido pelo Papa Francisco, somos convidados a um modo de ser Igreja amparado no compromisso e na missão de ser testemunhas onde quer que estejamos. Após esse tempo de distanciamento e apatia, estar em missão é urgentemente necessário para oferecer encontro e cuidado. Animados e amparados pela força do Espírito Santo, podemos ir até os confins do mundo como testemunhas, começando por nossas comunidades.

  O tema “A Igreja é missão” deste ano, conclui um caminho trilhado nos últimos três anos que destacaram a natureza missionária da Igreja: “A vida é missão”, em 2020, “Jesus Cristo é missão”, em 2021, e “A Igreja é missão”, em 2022. A natureza missionária da Igreja não pode ser reduzida a uma dessas dimensões ou atividades, mas a vivência de todas elas é o que compõe o ser missionário. Dom Pedro Brito Guimarães escreve na canção: Vivo a alegria de ser missionário. Recebi de Jesus essa linda missão[…] Então, Jesus é missão, a Igreja é missão. A vida é missão, o amor é missão. Então, Jesus é missão, a Igreja é missão.

  A campanha deste ano traz o testemunho da bem-aventurada Pauline Marie Jaricot, nascida em Lyon em 1799, fundadora da obra da Propagação da Fé que deu origem às Pontifícias Obras Missionárias (POM), que têm como desejo claro de apoiar os missionários, tanto material quanto espiritualmente. Somos convidados, então, a viver esse tempo a partir de gestos concretos de solidariedade e de oração. Além das atividades programadas em cada comunidade, no penúltimo final de semana de outubro (dias 22 e 23), teremos a Coleta do Dia Mundial das Missões, na qual as ofertas serão enviadas integralmente e repassadas ao Fundo Universal de Solidariedade que ampara projetos missionários em todo o mundo. No ano de 2020, o Fundo distribuiu mais de 680 milhões de reais em todos os continentes, colaborando com mais de 1050 dioceses pobres que dependem dessa ajuda para continuar e estão em “territórios de missão”.  Dentre os principais projetos, podemos destacar: trabalhos de promoção humana, catequese e evangelização; formação de futuros sacerdotes e religiosos(as); manutenção de missionários e igrejas; meios de comunicação social e de transportes; apoio a centros de saúde e educação, casas de portadores de deficiências e idosos, orfanatos, creches entre outros, além de subsídios de urgências em situações de desastres e calamidade pública.

  Devemos, também, rezar a Oração do Mês Missionário, para que compartilhemos da mesma força e em uma só voz peçamos:

  Deus Pai, Filho e Espírito Santo, ajudai-nos a viver este Ano Jubilar Missionário, a assumir e a revigorar nossa vocação cristã de discípulos missionários, sendo Igreja sinodal em estado permanente de missão até os confins do mundo. Pela força do Espírito Santo e a exemplo da bem-aventurada Pauline Jaricot, sejamos vossas testemunhas no anúncio, na oração, na ajuda material e na doação da própria vida, principalmente nos ambientes humanos, culturais, religiosos e geográficos, ainda alheios ao Evangelho. Maria, Rainha das Missões, rogai por nós!

  Este ano, nosso objetivo é anunciar e partilhar o que vivemos, motivando a todos aqueles que estão distantes a se reaproximarem do amor e da compaixão que só pode ser experenciados em Cristo. Como Igreja, devemos estar preparados para as mudanças que o mundo e a realidade nos apresentam, fortalecendo e promovendo a fraternidade e amizade social, através de ações e de nosso testemunho. Como os apóstolos e os primeiros cristãos, possamos sair em missão de forma corajosa, cientes de nossa vocação de missionários, e contribuir com as ações locais e da Igreja.

Pe. Alexandre Ferreira Margarido

Assessor Eclesiástico do Comidi

Outros conteúdos