Notícias

4° CONGRESSO VOCACIONAL DO BRASIL

O 4º Congresso Vocacional do Brasil, com o tema: “Vocação e Discernimento”, aconteceu de 05 a 08 de setembro no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida, no complexo do Santuário de Aparecida.  O evento contou com a participação de mais de 600 pessoas ligadas diretamente a pastoral vocacional e representantes dos diversos organismos e vocações na Igreja do Brasil. Pela CRB participaram como delegados, mais de 180 religiosos e religiosas de diversas Congregações e das 20 Regionais da CRB, 4 representantes da Vida Monástica, a presidente da Conferência Ir. Maria Inês Ribeiro e Ir. Clotilde P. Azevedo, assessora do Setor Juventudes.

Dom Walmor Oliveira Azevedo, presidente da CNBB, na celebração de abertura insistiu sobre a importância do zelo pela fonte da consciência vocacional que não pode ser assoreada – “Promover a consciência vocacional na Igreja significa que antes de qualquer projeto, precisamos olhar para nós. É importante a dimensão do encontro com Jesus e da escuta da Palavra de Deus. A Palavra de Deus é a ferramenta mais importante para este reavivamento vocacional. É dentro de nossas fragilidades e limites pastorais que somos chamados a ouvir de Jesus ‘avancem para águas mais profundas’. Somos chamados a ter a simplicidade e a confiança de Pedro que diz ‘em atenção a tua palavra vou lançar as redes’. O sucesso de nossa semeadura e colheita vem dessa obediência que nasce da escuta amorosa que nos coloca em confronto com Ele; não vem de nossa força, mas, quando nos deixamos transformar pro Ele para sermos instrumentos seus”.  

Segundo Ir. Maria Inês “um Congresso como este deve fazer-nos crescer no grande dom de Deus que é a nossa vocação”.

“A caminhada da Pastoral Vocacional” foi o tema apresentado pelo Pe. Angelo Ademir Mezzari, que percorreu os últimos 30 anos da caminhada vocacional no Brasil. Em sua fala o assessor destacou que “A pastoral vocacional se torna prioritária neste novo momento da história da evangelização, por meio do suscitar e acompanhar as vocações para o serviço da comunidade e para a atuação profético transformadora na sociedade”.

O tema central do Congresso “Vocação e Discernimento”, foi trabalhado pelo Padre Amedeo Cencini que salientou a necessidade de buscar novos caminhos “o mundo que deixamos atrás não voltará, por isso, não se deve trazer coisas antigas para o hoje. Pois a fé é sempre nova e o Deus que ser revela hoje é sempre novo”. Ao falar da realidade juvenil, Cencini destacou que se “há uma geração incrédula é porque não há figuras de referências próximas, os adultos são imaturos na fé; há comunidades sem senso de pertença e compromisso missionário”. Ao falar da sensibilidade vocacional lembrou que a mesma “surge do desejo interior de buscar o sentido na vida. Trata-se de uma intervenção que visa formar nos jovens uma atitude/disponibilidade em várias áreas de sua vida. Não é algo isolado que surge espontaneamente”. O assessor afirmou também que “se uma atividade pastoral não ativar um processo vocacional ela não é cristã”.

Os dias do Congresso foram marcados pela alegria, descontração e busca conjunta de novos caminhos para a animação vocacional no Brasil que podem ser sintetizadas por alguns elementos destacados pelos trabalhos de grupos e oficinas: que a cultura vocacional  possa contagiar e animar a todos na Igreja; em cada comunidade eclesial exista uma equipe vocacional paroquial assumida por todos; uma pastoral vocacional em saída que vai ao encontro dos jovens; que a animação vocacional seja desenvolvida em sintonia com as pastorais afins e a partir de um agir sinodal e em rede; a alegria da vocação seja sempre anunciada na cultura digital; todos os animadores e animadoras vocacionais sejam apaixonados pelas vocações; se abrace o desafio do acompanhamento vocacional personalizado e aberto a todas as vocações; que todos na Igreja assumam o compromisso da oração pelas vocações; a partir do Sínodo da Amazônia possa se desenvolver e fortalecer uma pastoral vocacional com rosto Amazônico.

PARTICIPAÇÃO SALVATORIANA

Com muita alegria e esperança, nós Irmãs Salvatorianas Maria Jovelina Oliveira e Elzi Bittencourt participamos deste Congresso que nos proporcionou momentos tão profundos de reflexão e ao mesmo tempo foi uma oportunidades para ressignificar nosso sim como proposta de fé em resposta ao chamado à Vida Consagrada. Na Casa da Mãe Aparecida, encontramos luzes e forças para dinamizar nossa caminhada a nível pessoal, na Província e na Igreja. Diversas foram as temáticas pertinentes, que exigem da Vida Consagrada atitudes de mudanças.

Oportunidades de reflexão, silencio e discernimento não nos faltaram. Discernimento este que nos fez perceber o momento histórico que nossa Vida e Missão como Consagrados(as) estamos vivendo. Impulsionadas pelas diversas provocações nos questionamos: Qual o sentido da Vida Consagrada hoje?

Ter coragem de voltar as fontes e ressignificar nosso Ser Salvatoriano, foram desafios constantes no processo de aprendizado durante estes dias. Sentimos forças de ficarmos de pé, calçarmos as sandálias e caminharmos na sensibilidade de construirmos um novo significado a nossa Identidade como Irmã Salvatoriana. Os assessores foram ótimos em seus temas, motivando e fazendo crescer em cada participante a vontade desafiadora da conversão, impulsionando-nos a corrigir o que está frágil.

Sob a proteção da Mãe Aparecida nos encontramos felizes e fortalecidas. Ao retornarmos para casa propomo-nos repassar o aprendido pelas informações, reflexões e testemunho das novidades de Deus operadas no Congresso e em nosso interior. A Deus, a Província nossos agradecimentos por tão maravilhosa oportunidade.

Confira no Vídeo como foi o 4º Congresso Vocacional do Brasil:




Outros conteúdos