AMAMENTAR DEIXA O SEU BEBÊ 100% SAUDÁVEL E FELIZ

A amamentação é uma prática natural, que traz muitos benefícios para o bebê, para a mãe e também para a família. O aleitamento materno deve ser exclusivo até os seis meses de vida, ou seja, até essa idade o bebê deve receber somente o leite materno, não deve ser oferecido qualquer outro tipo de comida ou bebida, nem mesmo água ou chá.

O leite materno é um alimento completo para o bebê, pois contém todos os nutrientes em quantidades adequadas, é de fácil digestão, fornece água para hidratação, protege contra infecções e alergias. Além disso, reduz problemas ortodônticos e fonoaudiológicos associados ao uso da mamadeira.

São muitas as vantagens como:

  • A interação profunda entre a mãe e o filho
  • Ajuda no desenvolvimento motor e emocional da criança
  • Faz o útero da mãe voltar mais rápido ao tamanho natural
  • Diminui o risco de hemorragia pós-parto e consequentemente de anemia na mãe
  • Ajuda a mãe voltar mais rapidamente ao peso que tinha antes da gestação e também diminui o risco de câncer de mama e de ovário
  • É de graça, natural, prático e não desperdiça recursos naturais
  • Está sempre pronto para ser transportado e ingerido

Dúvidas da amamentação:

  • O leite materno é mais completo do que o leite de vaca
  • Se a mãe amamentar o primeiro filho conseguirá amamentar o segundo normalmente
  • A produção do leite começa logo após o parto
  • O bebê com diarreia pode ser amamentado
  • Quando a mulher engravida novamente pode continuar amamentando
  • O estresse influencia na produção do leite
  • O leite materno pode ser congelado
  • O aleitamento materno exclusivo deve ocorrer até o sexto mês de vida
  • Mulheres que estão amamentando não podem tomar nenhum medicamento sem prescrição médica
  • Não existe leite fraco, todo leite materno é primordial à vida do bebê

Dicas para uma amamentação bem sucedida:

  • Para um início bem sucedido é preciso que a mãe entenda que o aleitamento deve ocorrer sob livre demanda, sem um tempo limite de mamada e frequência
  • É importante que o recém nascido seja colocado no seio da mãe logo que nasce para se habituar à sucção e estimular a produção de leite
  • Bicos e mamadeiras devem ser evitados, pois favorecem o desmame precoce
  • Evite agasalhar demais o bebê, pois o excesso de calor pode incomodá-lo na hora de sugar o seio
  • É importante que a mãe esteja sentada e em posição confortável, com o corpo do bebê voltado para ela
  • O corpo e a cabeça do pequeno devem estar alinhados e mão inferior dele tem que ficar apoiada na cintura da mãe
  • Segure a mama com a mão em formato de letra C
  • Estimule o lábio inferior do bebê com o mamilo, para que ele abra a boca e abaixe a língua
  • O bebê deve abocanhar todo mamilo
  • O queixo do bebê deve tocar a mama, seus lábios devem permanecer curvados para fora, em formato de “peixinho”
  • E para finalizar é importante que a mãe beba cerca de 3 a 4 litros de água por dia para fabricação do leite

Teste da linguinha

 O teste da linguinha é um exame que possibilita diagnosticar se a criança tem a língua presa ou não e indicar o tratamento precoce das limitações dos movimentos da língua causadas pela língua presa que podem comprometer as funções exercidas pela língua: sugar, engolir, mastigar e falar. O teste deve ser feito nas primeiras horas de vida do bebê, ainda na maternidade, isso é muito importante porque evita o desmame precoce. Ele é realizado pelo fonoaudiólogo através de um protocolo de avaliação do frênulo da língua em bebês que foi desenvolvido e validado durante o mestrado e doutorado da Fonoaudióloga Roberta Lopes de Castro Martinelli.

Dicas de como os pais podem perceber se o filho tem língua presa ou não e se esta influenciando na amamentação:

Durante a amamentação é importante observar se o bebê mama pouco, não consegue sugar e pegar de maneira adequada no bico do peito, o que, muitas vezes, machuca a mãe e acaba levando ao desmame precoce. Na fase em que a criança começa a se alimentar ela pode ter dificuldades de passar o alimento de um lado para o outro da boca.

Quando a criança começa a falar pode ter problemas com a fala, na produção de alguns fonemas como o L e o R. Por exemplo, em vez de falar morango a criança vai falar molango.

Ressalto que essas situações podem deixar a criança mais tímida, retraída e a faz evitar algumas palavras ou sons, que peçam a elevação da língua.

Outros conteúdos