6ª-feira da 27ª Semana Do Tempo Comum

Oração do dia

Ó Deus eterno e todo-poderoso, que nos concedeis, no vosso imenso amor de Pai, mais do que merecemos e pedimos, derramai sobre nós a nossa misericórdia, perdoando o que nos pesa na consciência e dando-nos mais do que ousamos pedir. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura (Joel 1,13-15;2,1-2)

Leitura da profecia de Joel.
1Oráculo do Senhor dirigido a Joel, filho de Fatuel.
Ouvi isto, anciãos, estai atentos, vós todos habitantes da terra! Aconteceu uma coisa semelhante em vossos dias, ou nos dias de vossos pais?
3Narrai-o a vossos filhos, vossos filhos a seus filhos, e estes à geração seguinte!
4O que a lagarta deixou, o gafanhoto devorou; o que deixou o gafanhoto, o roedor devorou; e o que ficou do roedor, o devastador comeu.
5Despertai, ó ébrios, e chorai; bebedores de vinho, lamentai-vos, porque o suco da vinha foi tirado da vossa boca!
Minha terra foi invadida por um povo forte e inumerável; seus dentes são dentes de leão, e tem mandíbulas de leoa.
7Devastou o meu vinhedo, destruiu minha figueira, descascou-a completamente, lançou-a por terra e seus ramos tornaram-se brancos.
8Clama como uma virgem cingida de saco para chorar o prometido de sua juventude.
9Já não há oferta nem libação no templo do Senhor. Os sacerdotes, servos do Senhor, estão de luto.
10Os campos estão devastados, o solo enlutado. O trigo foi destruído, o mosto perdido, o óleo estragado.
11Os lavradores estão desamparados, os vinhateiros lamentam-se por causa do trigo e da cevada, porque a colheita foi destruída.
12A vinha secou, a figueira murchou; a romãzeira, a palmeira, a macieira, todas as árvores definham; a alegria, envergonhada, foi para longe dos homens.
13Revesti-vos de sacos, sacerdotes, e batei no peito! Lamentai-vos, ministros do altar! Vinde, passai a noite vestidos de saco, servos de meu Deus!
15Clamai ao Senhor: “Ai, que dia!” O dia do Senhor, com efeito, está próximo, e vem como um furacão desencadeado pelo Todo-poderoso.
1Tocai a trombeta em Sião, dai alarme no meu monte santo! Estremeçam todos os habitantes da terra, eis que se aproxima o dia do Senhor,
2dia de trevas e de escuridão, dia nublado e coberto de nuvens. Tal como a luz da aurora, derrama-se sobre os montes um povo imenso e vigoroso, como nunca houve semelhante desde o princípio, nem depois haverá outro até as épocas mais longínquas.
Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial 9A(9)

O Senhor há de julgar o mundo inteiro com justiça!

O Senhor, de coração vos darei graças, 
as vossas maravilhas cantarei! 
Em vós exultarei de alegria, 
cantarei ao vosso nome, Deus altíssimo! 

Repreendestes as nações, e os maus perdestes, 
apagastes o seu nome para sempre. 
Os maus caíram no buraco que cavaram, 
nos próprios laços foram presos os seus pés. 

Mas Deus sentou-se para sempre no seu torno, 
preparou o tribunal do julgamento; 
julgará o mundo inteiro com justiça 
e as nações há de julgar com equidade.

Evangelho (Lucas 11,15-26)

Aleluia, aleluia, aleluia.
Agora o príncipe deste mundo há de ser lançado fora; quando eu for elevado da terra, atrairei para mim todo ser (Jo 12,31s).


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
11 15Jesus estava expulsando um demônio e alguns diziam: “Ele expele os demônios por Beelzebul, príncipe dos demônios”.
16E para pô-lo à prova, outros lhe pediam um sinal do céu.
17Penetrando nos seus pensamentos, disse-lhes Jesus: “Todo o reino dividido contra si mesmo será destruído e seus edifícios cairão uns sobre os outros.
18Se, pois, Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Pois dizeis que expulso os demônios por Beelzebul.
19Ora, se é por Beelzebul que expulso os demônios, por quem o expulsam vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes!
20Mas se expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente é chegado a vós o Reino de Deus.
21Quando um homem forte guarda armado a sua casa, estão em segurança os bens que possui.
22Mas se sobrevier outro mais forte do que ele e o vencer, este lhe tirará todas as armas em que confiava, e repartirá os seus despojos.
23Quem não está comigo, está contra mim; quem não recolhe comigo, espalha.
24Quando um espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso; não o achando, diz: ‘Voltarei à minha casa’, donde saí.
25Chegando, acha-a varrida e adornada.
26Vai então e toma consigo outros sete espíritos piores do que ele e entram e estabelecem-se ali. E a última condição desse homem vem a ser pior do que a primeira”.
Palavra da Salvação.

Comentário ao Evangelho

REBATENDO AS FALSAS ACUSAÇÕES

Um indivíduo não identificado, sem argumentos para negar a obra miraculosa de Jesus, murmurou que se tratava de um possível pacto com Belzebu, o chefe dos demônios. Outros, insensíveis diante da grandiosidade do que presenciavam, exigiam sinais ainda mais espetaculares, vindos do céu, que não deixassem pairar dúvidas a respeito da verdadeira identidade de Jesus.

O Mestre se deu ao trabalho de rebater apenas a primeira acusação. Mostrou ser absurdo acusá-lo estar em conluio com Belzebu. Se vence os demônios por um poder que lhe vem dos próprios demônios, então o reino de Satanás está dividido, sem possibilidade de se sustentar. O segundo argumento toca a explicação dos exorcismos na vida  dos acusadores. Jesus pede que lhe expliquem por que força seus exorcistas (“vossos filhos”) mostram-se poderosos contra os demônios.

Para ambos os argumentos, os acusadores do Mestre não têm resposta. A conclusão parece óbvia: “se é pela força de Deus que expulso os demônios, significa que o Reino de Deus já está no meio de vocês”. É preciso muita má fé para recusar esta evidência.

Os adversários partiam do princípio de que era impossível Deus servir-se de Jesus  para ser instrumento de sua ação na história de Israel. Isto por causa do preconceito irredutível quanto às origens do Mestre. Afinal, jamais as esperanças messiânicas de Israel haviam sido depositadas num pobre galileu. Mas o projeto de Deus era diferente!

Oração

Pai, afasta de meu coração todos os preconceitos que me impedem de acolher Jesus Cristo como teu enviado para trazer ao mundo a salvação e a libertação.

O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE

Outros conteúdos